Restauração, em madeira de lei antiga

Segundo a minha essência de inspiração participar de uma Mostra que deixará um legado a instituição beneficente foi um desafio prazeroso executar, e na minha entrevista a instituição nas necessidades (pós mostra) era uma galeria de arte para a oficia de pintura, considerando a minha paixão por arte foi uma experiência ímpar desenvolver um projeto social de autossuficiência no amanhã da casa.

 

 

E mesmo que abandono e o caos nas madeiras de leis encontradas lá eram alarmantes, e comprometendo a minha pontuação nos itens Leed de certificação Internacional forcei a intervenção de uma empresa especialista em madeiras para contribuir com este legado.

A emoção que está na restauração de dar vida a algo antigo, ressignificar se faz necessário nos tempos atuais e não podia ser diferente já que o número de entulhos para a certificação leed teve que ser zero, e esse é o nosso compromisso na Mostra Sustentável e no teto do nosso ambiente Lobby de Arte existia uma colônia de cupins.

Participar de um projeto com este compromisso dá vitalidade porque deixará um legado para a população, trará visibilidade e fará bom uso dos recursos investidos, além de nos orientar para um novo modelo de construção e reformas foi um desafio muito prazeroso e o serviço de saúde Dr. Cândido Ferreira estava abandonada e o estado das madeiras de lei eram precários. A instituição existe há cem anos. Há 20 não tem manutenção e estava há dez abandonada pelo poder público.

Por isso, insisti na escolha de uma empresa especialista em madeiras para suporte na restauração. A Montana Química fez uma visita técnica e nos orientou em relação aos procedimentos para  restaurar o teto, além de disponibilizar uma profissional para acompanhar as atividades e fornecer os produtos necessários.

Foi emocionante dar vida a um patrimônio histórico. O teto do lobby abrigava uma colônia de cupins, então, seguindo as orientações da Montana Química, aplicamos um controle de pragas urbanas. Foram sete latas de removedor para retirar as camadas de tinta, até chegar na madeira, mais vinte dias de dedetização para controle e eliminação total dos cupins. Após esse período, fizemos a selagem com o verniz e, depois, reconstruímos os locais mais afetados com massa de madeira.

Nosso compromisso foi ressignificar aquele espaço. É importante ressaltar que o número de entulho foi zero, já que se trata de uma exposição com foco em sustentabilidade. Conseguimos devolver à sociedade um prédio restaurado e autossuficiente, pronto para ser utilizado por pacientes e funcionários.

Sobre o Autor: Stefane Favoretti

Designer de interiores curiosa no quesito da decoração, uma caçadora de tendências apaixonada por inspirações.

2 comments to “Restauração, em madeira de lei antiga”

You can leave a reply or Trackback this post.

  1. Geysa frinhani - 11 de setembro de 2018 at 19:41 Reply

    Trabalho incrível!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.